Educação 3.0 ? Um novo paradigma?

Seria um conceito evolutivo para a coerência entre o ambiente de aprendizado e as competências necessárias para a sociedade do conhecimento?

O ambiente de educação e trabalho, típicos da sociedade do conhecimento em que vivemos no século 21, exige que escolas, colégios técnicos, universidades e centros de pesquisa integram de forma efetiva sua infraestrutura de tecnologia para viabilizar projetos pedagógicos que atendam aos processos de ensino e aprendizagem dentro do conceito de educação 3.0.

Na sociedade 3.0, espera-se que as pessoas sejam capazes de solucionar problemas, e que trabalhando em conjunto de forma colaborativa resolvam os problemas. Espera-se também que o profissional seja capaz de utilizar a informação digital que chega a ele em tempo real através de dispositivos digitais e aplique esse conhecimento à solução dos problemas. Espera-se ainda que saiba trabalhar junto a pessoas de outras faixas etárias, de outras gerações, com estilos e formações culturais diversificadas, bem como a iniciativa para distribuir tarefas entre as equipes, de modo que cada um execute uma atividade diferente, mas com a finalidade de alcançar um objetivo comum.

É com essa proposta – a de desenvolver nos estudantes as habilidades que eles necessitam para desempenhar não só suas atividades acadêmicas, mas também obter sucesso em suas carreiras e participar ativamente da sociedade democrática – que uma corrente de pensadores tem discutido a Educação 3.0.

Tais competências aos alunos, considerados 3.0, inclui inclusão digital, trabalho em equipe, empreendedorismo e busca de conhecimento para resolução de  problemas novos e complexos, pensamento crítico e criatividade, atitude e ética. E para atender as competências dos alunos 3.0, precisamos de um professor considerado também 3.0 que esteja em consonância com projetos pedagógicos que atendam as demandas do novo ambiente de ensino e trabalho do Século 21 tais como, ensino por competências, aprendizado adaptativo, sala de aula invertida, um professor que seja ao mesmo tempo mediador, mentor e tutor da construção de novos conhecimentos.

É um novo paradigma na educação que requer uma agenda de mudança mais ampla que responde às novas realidades da sociedade e diferentes oportunidades de aprendizado por meio de tecnologias digitais colaborativas. Podemos dizer que a educação 3.0 não é aquela que troca a lousa de giz pela lousa eletrônica ou o caderno pelo tablet para simplesmente continuar transmitindo o conhecimento. Ela é, antes de tudo, uma nova concepção de como ensinar (mudança de metodologia), com o que ensinar (recursos didáticos variados, principalmente digitais) e o que desenvolver (novas habilidades) para entregar como resultado, ao final do processo educativo, um cidadão com consciência e competência para atuar nessa nova sociedade que vem se transformando.

E para auxiliar o professor a pensar um pouco mais nessas questões, estamos disponibilizando um ebook ” 3 Motivos para se Tornar um Professor Digit@l”  cuja finalidade é trazer ao professor um debate sobre a inserção de TICs em sala de aula e apresentar 10 soluções digitais para o professor utilizar em suas aulas, alinhado com as expectativas da educação 3.0.

Veja abaixo a evolução do modelo Educacional de 1.0 até 3.0 representado no diagrama.

ed-3-0

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O EBOOK 

” 3 Motivos para se Tornar um Professor Digit@l”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *